terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Animação sobre a amplificação do sinal (vias de sinalização)

http://www.mediafire.com/?n0l30e5b9r3ee43

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Regulação da oxidação do piruvato (parte 1)

O complexo piruvato desidrogenase é regulado principalmente através de dois mecanismos distintos: alosteria e modificação covalente reversível. Ambos podem atuar (e atuam, normalmente!) ao mesmo tempo, sendo que há moléculas (ativadores e inibidores) que intervêm nos dois processos simultaneamente.


Ativadores do complexo piruvato desidrogenase
- AMP e ADP – o AMP e o ADP são duas moléculas que são obtidas quando se utiliza o ATP como fonte de energia química (o ATP pode ser clivado a ADP ou a AMP). Portanto, ambas as moléculas sinalizam um estado energético baixo, pelo que faz todo o sentido que funcionem como ativadores dos processos que permitem obter energia, os processos catabólicos. Uma vez que a oxidação do piruvato faz parte do catabolismo, este processo é ativado pelo AMP e ADP.
- CoA – é um dos cofatores da enzima que aparece incorporado nos produtos (o piruvato é simultaneamente descarboxilado, oxidado e combinado com CoA). Ou seja, como se trata de uma molécula que vai reagir com o substrato, a sua presença ativa a enzima.
- NAD+ – tal como a molécula de CoA, o NAD+ é também utilizado na reação, parecendo nos produtos (sob a forma de NADH). Além disso, uma vez que o NADH pode ser utilizado para se sintetizar ATP (na respiração celular), onde é oxidado a NAD+, este último é um indicador de um estado energético baixo na célula. Por tudo isto, faz todo o sentido que esta molécula seja um ativador da oxidação do piruvato.
- Ca2+ (músculo) – o ião cálcio é um importante mediador de várias respostas celulares. Um dos processos onde intervém é na contração muscular. Portanto, sendo este ião um indicador da contração muscular, que é um processo que consome muito ATP, é vantajoso para as célula musculares poderem utilizá-lo simultaneamente como um ativador do catabolismo e, em particular, da oxidação do piruvato. Assim consegue-se que com o mesmo sinalizador o músculo entre em contração e ative o catabolismo.
- Piruvato – o piruvato é o substrato do complexo piruvato desidrogenase, portanto, faz todo o sentido que funcione como um ativador.
- Desfosforilação – na forma desfosforilada, o complexo piruvato desidrogenase é ativo.

Inibidores do complexo piruvato desidrogenase
- ATP – o principal objetivo do catabolismo é produzir energia, principalmente sob a forma de ATP. Se a célula já tiver ATP, ou NADH (que, conforme referi em cima, pode levar à produção de ATP), o catabolismo é inibido.
- Acetil-CoA – sendo o produto da reação, é lógico que tenha um papel inibitório no processo.
- Ácidos gordos de cadeia longa – alguns ácidos gordos, particularmente os de cadeia longa, funcionam como inibidores desta reação.
- Fosforilação – o complexo piruvato desidrogenase é inativado por fosforilação reversível.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Piadas científicas (15)

Um físico, um biólogo e um química foram ver o oceano pela primeira vez.
o físico viu o oceano e ficou fascinado com as ondas. Disse que queria fazer umas pesquisas sobre dinâmica de fluídos nas ondas e foi para o oceano. Afogou-se e nunca mais regressou...
O biólogo disse que queria fazer umas pesquisas sobre a faune e a flora do oceano e entrou dentro de água. Também não regressou...
O químico esperou muito tempo e depois disso escreveu a seguinte conclusão: "O físico e o biólogo são solúveis na água do oceano".

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Música sobre o NAD+

Aqui fica mais uma música do Dr. Kevin Ahern (www.davincipress.com/metabmelodies.html), inspirada na canção Penny Lane, dos Beatles.

http://www.mediafire.com/?vpz29j3x3996ws5

N-A-D

In the catabolic pathways that our cells employ
Oxidations help create the ATP
While they lower Gibbs free energy
Thanks to enthalpy

If a substrate is converted from an alcohol
To an aldehyde or ketone it is clear
Those electrons do not disappear
They just rearrange – very strange

N-A-D is in my ears and in my eyes
Help-ing mol-e-cules get oxidized
Mak-ing N-A-D-H then

And the latter is a problem anaerobically
‘Cause accumulations of it muscles hate
They respond by using pyruvate
To produce lactate

Catalyzing is necessity for cells to live
So the enzymes grab their substrates eagerly
If they bind with high affinity
Low Km you see – just trust me

N-A-D is in my ears and in my eyes
Help-ing mol-e-cules get oxidized
Mak-ing N-A-D-H then
.