terça-feira, 29 de abril de 2014

Animação sobre a difusão de lípidos através da membrana

Faça download da animação aqui
.

domingo, 13 de abril de 2014

Respiração celular – Complexo I



O complexo I da cadeia respiratória mitocondrial pode também ser designado de NADH:ubiquinona oxidorredutase, ou NADH desidrogenase. Trata-se do maior dos 4 complexos da cadeia respiratória, tendo um tamanho superior ao de um ribossoma. 
A sua forma é em L, com cerca de 60 domínios transmembranares e uma região periférica hidrofílica, que contém o local de ligação do NADH e os centros redox do complexo I. É composto por 44 cadeias polipeptídicas distintas, sendo de destacar uma flavoproteína (com FMN como cofator) e 8 centros de ferro-enxofre. Destas 44 proteínas, 7 são codificadas pelo DNA mitocondrial, estando as restantes codificadas pelo DNA nuclear.
Do ponto de vista funcional, o complexo I recebe os eletrões provenientes do NADH, e transfere-os para a ubiquinona. Quando falo em NADH, estou a referir-me a qualquer molécula de NADH mitocondrial, independentemente da sua origem, pois o NADH encontra-se associado reversivelmente às desidrogenases. Ou seja, após ser formado no interior da mitocôndria, o NADH pode difundir-se até chegar ao complexo I, onde entrega os 2 eletrões que transporta. Durante o transporte de eletrões ao longo deste complexo, os mesmos são transferidos para uma proteína que possui FMN como cofator, passando a FMNH2. Seguidamente os eletrões vão passando por vários centros de ferro-enxofre (Fe-S), até chegarem à ubiquinona (Q), que recebe 2 eletrões de cada vez, convertendo-se em ubiquinol (QH2).
Durante o transporte de eletrões ao longo do complexo I, vão sendo libertadas pequenas quantidades de energia, que individualmente não poderiam ser utilizadas para produzir ATP. Sendo assim, o nosso organismo conserva parte dessa energia através da criação de um gradiente de H+. Ou seja, a energia que é libertada é utilizada para transportar ativamente H+ da matriz mitocondrial para o espaço intermembranar. No caso concreto do complexo I, por cada 2 eletrões que o atravessam, são bombeados 4 protões para o espaço intermembranar.
A equação química que descreve o funcionamento do complexo I é:
NADH + 5H+(matriz) + Q → NAD+ + QH2 + 4H+(intermembranar)
Existem várias patologias causadas por mutações em genes que codificam componentes do complexo I, sendo de destacar a Neuropatia Ótica Hereditária de Leber e a Síndrome de Leigh.

sábado, 5 de abril de 2014

Música sobre a síntese de ácidos gordos

Quem diria que a música When Johnny Comes Marching Home poderia dar origem a uma música sobre a síntese de ácidos gordos? O Dr. Ahern, claro! :)


Faça download da música aqui

When Acids Are Synthesized

The 16 carbon fatty acid, palmitate
Gets all the carbons that it needs from acetate
Which citric acid helps release
From mitochondri - matrices
Oh a shuttle's great
When acids are synthesized

Carboxylase takes substrate and it puts within
Dioxy carbon carried on a biotin
CoA's all gain a quick release
Replaced by larger ACPs
And it all begins
When acids are synthesized

A malonate contributes to the growing chain
Two carbons seven times around again, again
For saturated acyl-ates
There's lots of N-A-DPH
That you must obtain
When acids are synthesized

Palmitic acid made this way all gets released
Desaturases act to make omega-threes
The finished products big and small
Form esters with a glycerol
So you get obese
When acids are synthesized
.